Versão beta do projeto começa a funcionar em São Paulo dia 18.

A partir da próxima semana, no dia 18 de março, o paulistano vai ter mais uma forma de evitar o trânsito da cidade. A Tembici, maior empresa de bicicletas compartilhadas da América Latina, com patrocínio do Itaú Unibanco, está trazendo bicicletas elétricas compartilhadas para o Brasil. O novo modal desembarca em São Paulo, inicialmente, para um período de teste, que revelará a aceitação, necessidade e adaptação do público.

Serão 20 bicicletas elétricas na operação inicial que, nesta fase, poderão ser encontradas apenas em alguns pontos da cidade. A expectativa é que cada bicicleta elétrica faça 3 vezes mais viagens diárias que as bikes tradicionais. A e-Bike Itaú conta com 60 quilômetros de autonomia da bateria e tem velocidade máxima de 25 Km/h. Para garantir que estejam em perfeito funcionamento para os usuários, diariamente, as bikes serão retiradas para carregamento e devolvidas nas estações para utilização. Como parte do projeto de estudo da modalidade, não haverá cobrança extra na hora da retirada da bicicleta, de forma que qualquer pessoa com plano ativo do Bike Sampa pode retirar uma das novas laranjinhas para uso.

“A variedade de meios de transporte é essencial para quem vive em uma grande cidade. Atualmente, o paulistano passa em média quase 2 horas e meia no trânsito todos os dias, mas a mentalidade de quem passa por essa situação vem mudando. Vemos isso sempre com as nossas bicicletas, que são usadas como o modal para última perna de locomoção. E a entrada das bicicletas elétricas vai somar uma opção a isso”, conta Tomas Martins, CEO da Tembici.

O executivo acredita que a nova modalidade deve contribuir ainda mais para a diminuição de uso de automóveis em São Paulo. “As bicicletas elétricas permitem que os ciclistas façam percursos mais longos ou em trajetos mais íngremes com menos cansaço, e isso incentiva o uso das bikes por pessoas menos esportivas. Além disso, com o projeto de compartilhamento que estamos implementando, elas se tornam acessíveis para todos”, completa Martins.

O projeto começará apenas em São Paulo, em período de teste, para uma expansão gradativa. A expectativa da Tembici é que o projeto seja criado junto com os usuários, de forma que a empresa vai contar com os comentários da população para entender a aderência do modal aos paulistanos e formas de otimizar sua operação.

Banco Itaú e mobilidade urbana 

É o único patrocinador de sistemas de compartilhamento de bicicletas no mundo que tem programas de dimensões internacionais. Hoje, mantém cerca de 8.300 bicicletas, somando 20 milhões de viagens e contribuindo para a melhoria dos deslocamentos no Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Salvador (BA), e em Pernambuco, nas cidades do Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes e também em Santiago, no Chile.  

Texto de: REDAÇÃO CICLO VIVO – 12/03/2019

Advertisements