Aventureiros que queiram passar 12 dias nas instalações do Aurora Station deverão desembolsar cerca de US$ 9,5 milhões, equivalente a R$ 32 milhões

As viagens vão passar por uma revolução, se antes você poderia ir para cada canto da terra só, agora poderá ir para o espaço. Isso poderá mudar as nossas férias, vai nos ajudar a descobrir paisagens de uma altura em que muito poucos chegaram… Essa será a estação espacial Aurora, o primeiro hotel espacial do mundo.

Seu anúncio oficial ocorreu há um ano durante a Conferência Space 2.0 em San Jose, Califórnia, e desde então ele não parou de ganhar entusiastas em todo o mundo.

Abrigados a bordo de uma estrutura do tamanho de um grande jato particular, os hóspedes dormiriam 200 milhas acima da superfície da Terra, com as vistas épicas do planeta e as luzes do norte e do sul através das janelas.

Uma excursão não será barata: a viagem de 12 dias a bordo da Estação Aurora, que deve estar em órbita até 2022, custa US $ 9,5 milhões por pessoa.

No entanto, a empresa diz que a lista de espera já atinge sete meses de antecedência.

“Parte de nossa experiência é dar às pessoas um gostinho da vida de um astronauta profissional”, diz Frank Bunger, fundador e CEO da Orion Span, a empresa por trás da Aurora.

“Esperamos que a maioria dos hóspedes olhe pela janela, ligue para todos que eles conhecem e, se ficarem entediados, temos o que chamamos de ‘holodeck’, uma experiência de realidade virtual onde você pode fazer o que quiser; de flutuar no espaço, andar na lua, jogar golfe … “, acrescenta.

Aurora Station também servirá para envio de informações que auxiliarão cientistas e pesquisadores em seus estudos

O espaço hotel

Com 43,5 metros de comprimento e 14,1 metros de largura, o espaço será capaz de receber até quatro convidados e dois tripulantes. Espera-se que ele orbite a cerca de 200 milhas acima da Terra. A empresa garante ter planos ambiciosos para o projeto, sendo este o primeiro passo para “uma habitação humana sustentável e de longo prazo na órbita próxima da Terra”.

A Aurora será construída com uma campanha de crowdfunding e muitos a verão como uma luxuosa descendente da austera Estação Espacial Internacional (ISS).

Haverá algumas semelhanças entre os dois: os visitantes (quatro pessoas com dois funcionários) vai descansar em sacos de dormir ligados à superestrutura da comida estação ser liofilizadas e todos os hóspedes devem passar por um exame de saúde vigorosa antes do lançamento.

Além de observar as estrelas e retornar à Terra, os visitantes de Aurora também devem contribuir para experimentos em condições de baixa gravidade, como o cultivo de plantas, assim como os cientistas da ISS.

Mas também haverá algumas diferenças: a água será importada a cada rodada de convidados, em vez de ser processada a partir de sua própria urina.

Muitos na comunidade científica o vêem como o próximo grande salto inevitável para a humanidade. Mas essa nova forma de viagem espacial civil está em estágio embrionário e especialistas são cautelosos quando falam sobre Aurora.

“A estação Aurora é um bom brinquedo. Mas nós teremos que ver se realmente é implementado “, diz Christian Laesser, do Centro de Pesquisa para Turismo e Transporte da Universidade de St. Gallen, na Suíça.

Robert A. Goehlich, da Embry-Riddle Aeronautical University, acredita que agora, o turismo espacial é um campo onde a realidade, delírios e ficção científica são confundidos por isso difícil de distinguir entre realidade e desejos.

Ambos concordam que o turismo espacial já é um fato; Tudo começou em 2001, quando o americano Dennis Tito pagou à agência espacial russa U $ 20 milhões para uma visita de sete dias à ISS.

Quer receber mais notícias como essa? Cadastre-se neste site (aqui ao lado) e receba as novidades!

Tem dúvidas, críticas, sugestões? Divida comigo e me ajude a melhorar esse blog! Faça seu comentário!

Fontes:

Advertisements