Advertisements

Engenheiro na Web

Notícias de engenharia, arquitetura, informações sobre tecnologias inovadoras e novidades que fazem um mundo melhor!

Usinas hidrelétricas transformam plantas aquáticas em biocombustível

3 min read
Uma usina hidrelétrica de Jupiá, no interior de São Paulo, quase divisa com o Mato Grosso do Sul, está buscando outras fontes de energia além do que elas já são habituadas a produzir: o biocombustível. Para isso, a usina e pesquisadores do noroeste paulista estão transformando plantas aquáticas em biocombustível.

Nos rios do Sudeste e do Centro-Oeste, crescimento de algas prejudica funcionamento de turbinas de usinas. Mas agora, as plantas viram matéria-prima para o bio-óleo

Uma usina hidrelétrica de Jupiá, no interior de São Paulo, quase divisa com o Mato Grosso do Sul, está buscando outras fontes de energia além do que elas já são habituadas a produzir: o biocombustível. Para isso, a usina e pesquisadores do noroeste paulista estão transformando plantas aquáticas em biocombustível.

Além de viabilizar o aproveitamento energético de um resíduo, que é um problema para as usinas, o projeto vai realizar também um mapeamento e monitorar as plantas aquáticas.

Tudo começou quando pequenas ilhas verdes no meio do Rio Paraná começaram a chamar a atenção dos frequentadores pela beleza, mas escondiam um problema nos rios do sudeste e centro-oeste do país.

Estudos concluíram, então, que essas plantas recebiam uma carga grande de fertilizantes das lavouras e do esgoto de cidades próximas.

“São plantas naturais de rios e reservatórios que se proliferam onde elas encontram um ambiente favorável com luz e nutrientes”, afirma o biólogo Rogério Marchetto Antonio.

O resultado foi um crescimento desordenado das plantas e elas viraram uma ameaça para o funcionamento das usinas hidrelétricas da região noroeste paulista.

César Teodoro, diretor de operação e manutenção da CTG Brasil, segunda maior geradora privada de energia do país, diz que começou a afetar a produção.

“Eu preciso parar a produção de energia em função do volume que elas chegam e tapam a entrada de água para as turbinas”, diz.

De acordo com o diretor, em 2017, as plantas causaram um prejuízo de R$ 3,8 milhões na hidrelétrica de Jupiá, que fica na divisa de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Ao todo, 10 unidades geradoras de energia pararam de funcionar durante cinco meses.

Para que isso não aconteça de novo, a grade da usina, que fica a 33 metros de profundidade do rio, passa por uma limpeza diária. Em três anos, por exemplo, os funcionários retiraram mais de duas mil toneladas de algas.

E aí, segundo César, surgiu a pergunta: o que fazer com essa alga retirada? Foi então que a ideia de transformar plantas aquáticas em biocombustível.

Fonte: https://www.jornaldafronteira.com.br/usinas-hidreletricas-transformam-plantas-aquaticas-em-biocombustivel/

“Queremos chegar, além do que enxergamos, buscar uma forma de controle que não apenas venha trazer o benefício para empresa, mas também para todo setor elétrico”, afirma César.

Parceria

A solução veio de uma parceria da hidrelétrica com o Instituto de Biomassa do Senai e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial.

Os pesquisadores já haviam cogitado a possibilidade de transformar algas em biocombustível, mas essa é a primeira vez que um estudo ganha tal proporção.

Ainda que em pequena escala, já foi possível produzir bio-óleo a partir de plantas aquáticas. O desafio agora é a produção em larga escala.

O próximo passo é processar esse bio-óleo para que ele possa ser usado nos motores à diesel. Segundo os pesquisadores, esse biocombustível pode ser usado no futuro tanto para alimentar motores de carro, como pelas máquinas da usina.

“É um material que tem um impacto social, ambiental e dar uma destinação nobre para esse resíduo que é gerado e que tem associado a ele questões financeiras, sociais, econômicas, é muito interessante, é muito bacana”, afirma Hélio Mera de Assis, pesquisador industrial do biomassa.

Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais, seja engenheiro, arquiteto ou simpatizante! Vamos fazer chegar ao máximo de pessoas possível! Conhecimento nunca é demais e com conhecimento poderemos mudar a vida de outras pessoas e melhorar o mundo!

Quer receber mais notícias como essa? Cadastre-se neste site (aqui ao lado) e receba as novidades!

Tem dúvidas, críticas, sugestões? Divida comigo e me ajude a melhorar esse blog! Faça seu comentário!

Fontes:

Advertisements

Deixe uma resposta

Copyright © All rights reserved. Newsphere by AF themes.