Engenharia Mecânica: Tudo que você deve saber

Está pensando em fazer engenharia mecânica? Você está fazendo a graduação? Aqui vamos falar um pouco sobre essa profissão, as disciplinas aprendidas na graduação e suas possibilidades de atuação, além de apresentar algumas características do profissional desse segmento para ajudá-lo a descobrir se essa é a escolha certa para o seu futuro de sucesso.

A Engenharia Mecânica é o ramo da engenharia responsável pelo projeto, desenvolvimento e manutenção de sistemas mecânicos. Assim, o engenheiro mecânico projeta e supervisiona máquinas e equipamentos que serão destinadas tanto à indústria quanto ao uso pessoal.

Desde o setor automobilístico ao siderúrgico, passando pelo setor de refrigeração, esse profissional possui uma gama de competências variada, podendo trabalhar em diversas áreas de atuação. Vale ressaltar que a Engenharia Mecânica é uma das áreas de engenharia mais antigas da história, pois desde os primórdios da humanidade, criamos ferramentas e instrumentos para aumentar a capacidade humana e tornar nossa vida mais simples.

Alguns exemplos de equipamentos mecânicos remontam ao Antigo Egito, como as bombas d’água shaduf, que permitiram cultivar as lavouras o ano todo, e não apenas no período de cheia do rio Nilo. Mas foi com a Revolução Industrial e o advento da máquina a vapor que essa área da engenharia foi oficializada, mais precisamente em 1847. Desde então, os avanços obtidos atingiram proporções espetaculares. Se você olhar atentamente, é possível ver a presença da Engenharia Mecânica em todos os aspectos da vida moderna, como carros, aviões, tubulações, geladeiras, aparelhos de ar condicionado e usinas de geração de energia.

O curso de Engenharia Mecânica

O curso de engenharia mecânica costuma apresentar uma base comum de disciplinas básicas, como cálculo, física, química, álgebra e geometria analítica, geralmente concentradas nos primeiros semestres para gerar uma base sólida e ser complementada com as matérias específicas.

Tem que gostar de matemática, química, física…

Ao longo da graduação, a grade curricular passa a trazer uma série de outras matérias mais específicas da área, como na lista abaixo:

  • desenho industrial;
  • resistência dos materiais;
  • fenômeno de transportes;
  • termodinâmica;
  • desenho de máquinas;
  • mecânica dos sólidos e dos fluidos;
  • processos metalúrgicos;
  • materiais de construção mecânica;
  • processos de usinagem;
  • sistemas térmicos, ventilação e refrigeração;
  • manutenção industrial;
  • sistemas mecânicos e fluidomecânicos;
  • equipamentos industriais e instrumentação;
  • projeto e construção de máquinas;
  • sistemas de energia alternativa;
  • engenharia ambiental;
  • engenharia de soldagem;
  • engenharia de produto;
  • hidráulica e pneumática;
  • mecânica automobilística;
  • planejamento e controle de produção.

Para complementar a formação dos alunos com conhecimentos mais voltados ao campo de gestão, algumas faculdades também oferecem matérias que trazem conhecimentos em administração e custos industriais, economia, direito e sociedade.

Em média, a graduação em engenharia mecânica tem duração de 4 a 5 anos e, para conquistar o diploma, além da aprovação em todas as disciplinas, os futuros profissionais devem realizar estágios obrigatórios, aulas práticas em laboratórios e, por fim, apresentar um trabalho de conclusão de curso (TCC).

Uma vez formado no curso de Engenharia Mecânica, o profissional pode se especializar por meio de pós-graduação na área desejada ou se preferir ainda pode fazer um curso de mestrado e, posteriormente, doutorado.

O que faz um Engenheiro Mecânico

Um profissional de engenharia deve ter interesse nas novas tecnologias, mas antes de tudo precisa saber das ciências básicas. De modo geral, o engenheiro mecânico atua no projeto, no desenvolvimento e na supervisão de sistemas mecânicos — como máquinas, equipamentos e veículos. E, dependendo da empresa e do segmento de mercado, pode exercer uma ampla gama de atividades, como:

  • desenho de peças, dispositivos e maquinários;
  • inspeção de linhas de produção;
  • implantação de testes de produtos e máquinas;
  • acompanhamento da manutenção de equipamentos;
  • gestão de equipes.

Além disso, o profissional tem a possibilidade de trabalhar com outros engenheiros — civis, elétricos, de produção, de controle e automação, entre outros —, para, juntos, desenvolverem e colocarem em prática os projetos das companhias em que atuam.

Onde o Engenheiro Mecânico pode trabalhar

Após a graduação em engenharia mecânica, o que não falta para os graduados são possibilidades de atuação. O engenheiro atua de forma generalista no desenvolvimento de projetos de sistemas mecânicos e termodinâmicos. Diariamente o profissional lida com atividades voltadas à otimização, instalação, manutenção e operação de sistemas mecânicos, termodinâmicos, eletromecânicos, de estruturas e elementos de máquinas, desde sua concepção, análise e seleção de materiais, até sua fabricação, controle e manutenção. Vamos destacar alguns setores de atuação:

Indústria automobilística: Nas fábricas e montadoras automobilísticas, os engenheiros mecânicos encontram oportunidades em praticamente todos os setores da cadeia de produção: desde o projeto, desenvolvimento e aperfeiçoamento de componentes do automóvel até o acompanhamento da linha de montagem e gerenciamento das equipes. As áreas de manutenção industrial também precisam de muitos engenheiros mecânicos. Processos como usinagem, soldagem, prensagem, laminação, trefilação, extrusão, entre tantos outros, são como o arroz e feijão desse profissional. Engenheiros mecânicos tem enorme potencial de conquistarem cargos de liderança nesse tipo de empresa. Quem pensa em trabalhar nesse setor deve ficar antenado às inovações do setor. As próximas gerações de veículos exigirão mais do que motores potentes, conectividade e tecnologia a bordo. Os engenheiros terão que projetar carros feitos com materiais sustentáveis e que utilizem combustíveis renováveis e não poluentes.

Térmica: A área térmica é uma das mais vastas da Engenharia Mecânica, possuindo várias aplicações diferentes. Nessa área, estão incluídas a Termodinâmica e Transferência de Calor. É aqui que entra a construção de motores, turbinas, sistemas de refrigeração, bombas de calor, entre outros. A busca por eficiência é constante e o engenheiro está sempre preocupado com a questão da emissão de poluentes.  

Indústria energética: A preocupação mundial em encontrar alternativas mais sustentáveis para o fornecimento de energia também tem trazido boas perspectivas de trabalho para os engenheiros, que podem atuar da pesquisa à implantação de projetos para soluções como os biocombustíveis ou sistemas de energia eólica.

Indústria metalúrgica: Ao ingressar nessa área, responsável pela extração e manipulação de metais para a produção de peças essenciais para outros segmentos, como o automobilístico ou a construção civil, o engenheiro mecânico tem a função de gerenciar a produção desses itens e comandar a equipe de operários no chão de fábrica. Processos como usinagem, soldagem, prensagem, laminação, trefilação, extrusão, entre tantos outros, são importantíssimos na vida desse profisional.

Indústria petroquímica: Para os formados em engenharia mecânica, a indústria petroquímica também oferece excelentes oportunidades de atuação, de projetos que viabilizem a extração de petróleo ao gerenciamento das etapas de refino, processamento e distribuição dessa matéria-prima.

Projetos: Uma das áreas mais desafiadoras e ao mesmo tempo gratificante, o setor de projetos é responsável por projetar (obviamente) novos equipamentos e peças para o maquinário, sempre antenado com as novas tecnologias que surgem de forma cada vez mais dinâmica.   Vale lembrar que em grande parte das vezes o engenheiro mecânico trabalhará em conjunto com outros profissionais de engenharia. Por exemplo, na área de processos ele trabalhará em conjunto com o engenheiro químico, na de geração de energia, atuará em conjunto com o engenheiro eletricista, e por aí vai.

Setor público: Prestar concurso e garantir uma carreira estável na esfera governamental é uma opção que ainda atrai muitos profissionais. Para os engenheiros mecânicos, existem muitas oportunidades para atuar em áreas como saneamento básico, defesa civil, uso de recursos naturais e planejamento, fiscalização e acompanhamento de obras públicas.

Carreira acadêmica: As universidades oferecem boas oportunidades para os engenheiros que desejam trabalhar com pesquisa na graduação ou na pós graduação, nos quais podem atuar como professores ou diretores de curso.

Quanto ganha um profissional da Engenharia Mecânica?

De acordo com os dados da Catho Online, a média salarial no Brasil gira em torno dos R$ 6.800, dependendo da empresa, do segmento da economia e da região do país.

Principais habilidades

  • Saber resolver problemas complexos
  • Capacidade de tomar decisões
  • Relacionamento interpessoal
  • Habilidades matemáticas
  • Trabalho em equipe
  • Capacidade de se manter atualizado quanto às novas tecnologias
  • Capacidades de escrita

Quais são as melhores universidades de Engenharia Mecânica?

Você quer se tornar um engenheiro mecânico e não sabe quais são as melhores universidades do Brasil e do Mundo? Clique aqui e aqui para conhecer.

Você sabe qual é a melhor universidade de engenharia do mundo? Saiba mais aqui!

Atenção: algumas escolas têm foco em uma área específica, como aeronáutica (ITA), naval (Furg-RS), mecatrônica (Mackenzie-SP e FSA-SP) e automotiva.

Softwares mais utilizados  

Alguns softwares fazem parte da vida do engenheiro mecânico e alguns outros ele acabará entrando em contato em algum momento da graduação ou da carreira. Separamos alguns deles com uma breve explicação abaixo:

AutoCad: software de Desenho Assistido por Computador (DAC) ou CAD (do inglês: computer aided design) em 2D e 3D (3 dimensões), utilizado para a criação de projetos para edifícios, hidráulicos, elétricos, pontes e outros projetos de engenharia elétrica, mecânica e civil.

Matlab: software de desenvolvimento que pode ser aplicado para diversos fins. Apresenta interfaces que permitem resolver, analisar e simular vários problemas na área da engenharia, utilizando linguagem própria, não muito diferente da C/C++, além da linguagem de blocos (Simulink).  

SolidWorks: foi criado para facilitar a vida de engenheiros e projetistas. Ele possibilita não só a criação (em 2D e 3D) de peças, como também a simulação de resistência, durabilidade e diversas outras características, facilitando e muito o desenvolvimento do produto.

FluidSIM: software muito utilizado para a criação e simulação de sistemas eletropneumáticos e eletrohidráulicos. É muito utilizado na Engenharia Mecânica na parte de automação industrial.

SMath: muito útil para se trabalhar com vários cálculos matemáticos, servindo de grande auxílio para o engenheiro, além de já exibir os cálculos formatados, o que é ideal para se colocar no TCC.  

Microsoft Excel: esse software não poderia faltar. O conhecimento de Excel é muito importante para o engenheiro mecânico, pois as planilhas eletrônicas são muito úteis na organização de dados e tabelas, além de servir principalmente na hora de apresentar um relatório.  

Microsoft Project: esse software é muito utilizado para gerenciamento de custos e prazos. O conhecimento de Project é muito importante para o engenheiro mecânico que trabalham com projetos mais complexos e com várias atividades envolvidas.  

Ansys: software utilizado para simulações de engenharia, permitindo análises minuciosas do comportamento de máquinas e peças. Possui uma versão estudantil gratuita para uso acadêmico.  

Ftool: software utilizado para simulações estruturais. Utilizado principalmente para estruturas metálicas. Clique aqui para saber mais e aqui para baixar gratuitamente.

Demanda

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) realizou um estudo que prevê carência de profissionais para 2020. Segundo essa projeção, a escassez de engenheiros não será pela falta de profissionais formados, mas pela falta de pessoas qualificadas. Isso quer dizer que, em números, haverá engenheiros suficientes para suprir a demanda — no entanto, esse mercado requer mais profissionais de qualidade.

Como o investimento na formação para a Engenharia foi tímido nas últimas décadas, ainda é baixo o número de pessoas com experiência e capacitação suficientes para assumir cargos altos, como os de gerência. Por isso, atualmente, as grandes organizações carecem de líderes para conduzir seus projetos de Engenharia.

Gostou desse artigo? Compartilhe com seus amigos nas suas redes sociais, seja engenheiro, arquiteto ou simpatizante! Vamos fazer chegar ao máximo de pessoas possível! Conhecimento nunca é demais e com conhecimento poderemos mudar a vida de outras pessoas e melhorar o mundo!

Quer receber mais notícias como essa? Cadastre-se neste site (aqui ao lado) e receba as novidades!

Tem dúvidas, críticas, sugestões? Divida comigo e me ajude a melhorar esse blog! Faça seu comentário!

Fontes:

Advertisements

Um comentário sobre “Engenharia Mecânica: Tudo que você deve saber

Deixe uma resposta